DESTAQUES

Arquisur 2021 premia pesquisas do LabHab

Arquisur 2021 premia pesquisas do LabHab

A Associação das Escolas e Faculdades de Arquitetura Públicas da América do Sul (Arquisur) premiou este ano dois trabalhos desenvolvidos no âmbito do LabHab. Confira a seguir os projetos selecionados e acesse aqui o resultado completo. Prêmio Arquisur / Pesquisa 2021...

EVENTOS

Curso: Os desafios da moradia no centro de São Paulo

Curso: Os desafios da moradia no centro de São Paulo

Curso: Os desafios da moradia no centro de São Paulo [parceria IAB-SP e LABHAB/FAU-USP] A transformação de áreas centrais tem sido uma tônica recorrente em cidades de várias partes do globo. De processos de esvaziamento à intervenções voltadas para a recuperação de...

PRODUÇÃO

As centralidades periféricas como contraponto à “cidade investimento”

As centralidades periféricas como contraponto à “cidade investimento”

Paula Custódio de Oliveira

Vivemos um paradoxo que, se de um lado contamos com uma estrutura legal, que contempla conquistas sociais das últimas décadas, da Constituição, ao Estatuto da Cidade e a normativa deles decorrente, como planos urbanos e habitacionais generosos, o que se observa na realidade é a ampliação da mercantilização dos espaços urbanos. Consolida-se uma cidade segmentada e excludente.

Parece-nos que é o momento de voltar a discutir ações concretas do Estado, intervenções de menor porte e distribuídas em rede, que articulem recursos próprios constitucionalmente preconizados como educação e saúde na formatação de Projetos Urbanos de Interesse Social, como contraponto a um contexto que vem tornando a cidade um investimento e ampliando as desigualdades territoriais.

Nessa perspectiva, a política de fomentar a presença do Estado como marco visível na criação de centralidades e polos estruturadores desse tecido desarticulado periférico é um resgate que deve ser feito, destacando-se aqui a implantação dos Centros Educacionais Unificados (CEUs), como forte elemento de reflexão.

Coletivo Caetés e o Complexo Esportivo Dr. Sócrates Brasileiro

Ana Cristina S. Morais, Evelyn Harumi Tomoyose e Victor de Almeida Presser

A Extensão Universitária, juntamente com ensino e pesquisa, é um dos três pilares da Universidade, sendo seu espaço de interação com a sociedade. Dessa forma, a extensão é o meio em que é possível produzir conhecimento e aprendizado através da prática, construídos coletiva e horizontalmente, sendo de grande importância para o profissional em formação. No entanto, a extensão não é muito explorada na Universidade, enfrentando dificuldades para sua realização e implementação. O objetivo deste artigo é apresentar os desafios enfrentados pelo Coletivo Caetés – coletivo de estudantes de Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP – durante a concepção e processo de implementação do Complexo Esportivo Dr. Sócrates Brasileiro na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Dessa forma, além de apresentar o coletivo e o projeto, o artigo expõe as dificuldades enfrentadas pelo grupo e o ganho de conhecimento obtido com o projeto.

Vazios urbanos – requalificando o problema na Grande São Paulo

Helena Menna Barreto Silva

Seminário Internacional sobre Vazios Urbanos: Novos desafios e oportunidades
Desde os final dos anos 70, a literatura sobre problemas urbanos e os documentos de planejamento, começaram a insistir sobre os problema que os vazios urbanos trariam para a gestão da cidade. Nessa época, havia-se constatado que cerca de 40% da mancha urbana da capital paulista permaneciam ociosos. Ressaltava-se que a retenção desses vazios provocaria escassez e conseqüente alta do preço dos terrenos; insistia-se sobre um conflito entre proprietários de terrenos e construtores, para os quais interessaria que a retenção desses terrenos vazios fossem penalizada, especialmente por via fiscal, de modo a aumentar a oferta de terrenos no mercado e, desse modo, reduzir os preços fundiários e os preços finais dos imóveis.