Parâmetros técnicos para urbanização de favelas

A pesquisa foi financiada dentro do Programa de Tecnologia de Habitação Habitare pela Finep – Financiadora de Estudos e Projetos e pela Caixa Econômica Federal. Recebeu também apoio financeiro da FUPAM e da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP.

Iniciada em Julho de 1998, a pesquisa – entre levantamentos e análise dos resultados – se finaliza agora, em Dezembro de 1999. Esse longo período de intensa atividade da equipe permitiu um detalhamento dos levantamentos e um aprofundamento de questões e sistematização de resultados.

Ressalte-se entretanto, que a riqueza dos dados levantados sobre os diferentes casos faz merecer ainda outras reflexões que o distanciamento do objeto de pesquisa e apresentação dos primeiros resultados a outros interessados, certamente farão florescer.
O presente relatório (apresentado em três volumes) contém , na Introdução, um pequeno resumo dos objetivos, objeto e metodologia da pesquisa. A Parte I (apresentada em dois volumes) contém cinco capítulos, referentes aos relatórios dos pesquisadores em cada cidade. Estes relatórios, por meio de textos, fotos e mapas, apresentam os resultados da aplicação dos diferentes instrumentos de
pesquisa em cada favela estudada e uma sistematização quanto à replicabilidade, adequabilidade e sustentabilidade de cada intervenção analisada. A Parte II (no volume 3), dividida em três capítulos, contém a avaliação dos resultados, com um aprofundamento analítico dos consultores. O volume 3 contém ainda as Conclusões e Recomendações e a equipe técnica envolvida na pesquisa.

Objeto da pesquisa

A presente pesquisa é construída em torno dos três eixos da replicabilidade, adequabilidade e sustentabilidade. Delimitamos aqui, de maneira resumida, o significado de tais eixos para o caso de obras de urbanização de favela, com ênfase nos sistemas e serviços de infra-estrutura urbana.

A partir deste três eixos, procurou-se avaliar as características e qualidades técnicas e tecnológicas de obras urbanização de favelas, através da avaliação de intervenções realizadas em favelas de:

  • São Paulo – Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Reservatório
    • Guarapiranga: favelas Santa Lúcia e Jardim Esmeralda
    • Diadema – Programa Municipal de Urbanização e Regularização de Favelas: Núcleos habitacionais
      Vila Olinda e Barão de Uruguaiana
  • Rio de Janeiro – Programa Municipal Favela-Bairro: Favela Ladeira dos Funcionários / Parque São
    Sebastião
  • Goiânia – Programas Morada Viva, da Prefeitura de Goiânia e Projeto Meia Ponte, do Instituto Dom
    Fernando: Ocupações Jardim Conquista e Dom Fernando I
  • Fortaleza – Programa Pró-Moradia/Urbanização de Áreas Degradadas – COHAB CE: Favela Castelo
    Encantado.

Desta forma, temos uma avaliação de situações que, se não podemos afirmar representativas, são
mais próximas às diversidades regionais do Brasil.

Financiamento:

FINEP – FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS

CEF – CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

EQUIPE TÉCNICA

Coordenação geral:
Ermínia Terezinha Menon Maricato -labhab@edu.usp.br
Sub coordenação:
Wilson Edson Jorge
Coordenação técnica:
Laura Machado de Mello Bueno
Equipe central:
Helena Menna Barreto da Silva
Elisângela Canto
Estagiários:
Adriana Estadella
Andrea de Oliveira Nascimento
Luiz Fernando Romeu (parcial)
Patricia Boscarol (parcial)

 

Fortaleza:

Luiz Renato Bezerra Pequeno – renatobp@secrel.com.br
Mariana Furlani
Joísa Barroso

Goiânia:

Lúcia Maria Moraes – moraes3@zaz.com.br
Luís Henrique Dias Santana – auxiliar de pesquisa

Grande São Paulo

Guarapiranga:
Francisco de Assis Comaru
Margareth Matiko Uemura – matiko@mandic.com.br
Diadema:
Nelson Baltrusis – lmourad@mandic.com.br
Apoio: Instituto Diadema

Rio de Janeiro:

Denise Thiry Penna Firme – denisetpfirme@openlink.com.br
Maria José Parreira Xavier

 

Auxiliares de pesquisa:
Michel Malta e Stella Hermina

Consultores:
Alberto Gomes Silva – Aspectos sócio-comunitários e institucionais
Berenice Souza Cordeiro – Infra-estrutura e serviços –água, esgotos, drenagem energia
Eduardo Cesar Marques – Infra-estrutura e serviços –água, esgotos, drenagem energia – definição
da metodologia
Laura Machado de Mello Bueno – Urbanismo e Meio ambiente
Rinaldo Artes- Estatística e Estudos sócio-econômicos
Rui Taiji Mori – Geotecnia
Silvia Maria Schor – Estatística e Estudos sócio-econômicos
Sylvia M. Wanderley Casério de Almeida – Urbanismo

Tabulação dos dados:
Adelson Sant’Anna e Helena Menna Barreto Silva

Apoio administrativo:
Cassiana Souza Lima

Apoio técnico: BRASERVICE